Algo entre ser santa e pilantra



Outro dia li uma reportagem de uma moça muito famosa há alguns anos atrás que andou chorando por aí por causa de um motivo, digamos, curioso. Ela chorou pelo fato das pessoas que a cerca só lembrarem-se do “trabalho” dela na época em que ela era “do mundo”. A expressão “do mundo” cai como uma luva em quem se intitula como “sou uma pessoa de Jesus”. Quem é de Jesus não é do mundo. É de que planeta então? Marte? Crypton?

Continuando o assunto para não perder o fio da meada, quero expressar minha humilde e inútil opinião sobre essas moças que hoje são "frutas" e amanhã resolvem ser de Jesus. Se hoje são "frutas", são sexys (o que não é pecado nenhum ser), são gostosas (o que não é pecado nenhum ser também) por que diabos elas em um momento “santa” resolvem renegar seu passado e se dizem envergonhadas com isso? “Não! agora sou de Jesus, sou mãe de família, meu filho não pode saber que já mostrei meu “útero” por aí para ganhar a vida”. Elas renegam seu passado, mas não renegam o dinheiro que resultou dele. Têm vergonha de terem rebolado até o chão e na "boquinha da garrafa", mas não se privam de gastar nos shoppings da vida o dinheirinho “do mundo”.

Isso me irrita. Mas afinal quem sou eu para me dar ao luxo de irritar-me com esse tipo de coisa? Eu que procurei estudar, me matar nas filas esperando ônibus, trabalhar o dia todo para ganhar um salário mínimo, agüentar crises de mau humor do chefe, acordar sábado às 05h30min da manhã para fazer uma pós e ficar lá o dia todo sem ter a certeza de que isto me dará uma oportunidade boa na vida. Eu que procurei ler poesias e crônicas. Que procurei ter a minha religião desde quando nasci e não quando me convém... Enfim, quem sou eu para expressar minha desconhecida irritação?

Sou apenas mais uma mulher do mundo indignada com essas moças que ao invés de procurarem usar o dinheiro ganho para se reciclar, preferem fazer notícias de “sou Maria Madalena arrependida”.

Semana passada num sol de meio dia andando pelo Alcântara passei pela banca de jornal e li uma manchete que me fez rir muito: “Mulher maçã tem calcinha e sutiã roubados por um assaltante”. Claro que não precisa dizer que a foto da tal “mulher maçã” era como veio ao mundo (agora não sei em qual mundo ela está: se é o “mundo de Jesus” ou o “mundo do mundo”).

Aí eu pensei cá com meus botões: “Nossa... já estamos nessa fruta... Como será que o povo brasileiro se sente quando resolvem comer uma saladinha de fruta hoje em dia?”

Fico imaginando o que as mulheres de décadas atrás que queimaram sutiãs pensariam das nossas mulheres de hoje.
10 Responses
  1. Jane Prado Says:

    ADOREI esse texto, faço minha suas palavras!


  2. Nossa! Muito bom!!! É um honra ter alguém que sente e pensa assim, lendo meus humildes rabiscos. Nesses momentos é que eu penso: ``Alguém nesse mundo, vive no mesmo mundo que eu``.
    Abração!


  3. Fabi Mello Says:

    O texto é perfeito, concordo plenamente com vc, as vezes fico indignada com essas senhoras por aí q acham que somos idiotas. claro q todo mundo tem direito de mudar sua vida, mas daí a querer q todo mundo esqueça o q fez para subir na vida e ficar famosa a todo custo já é um pouco demais né...


  4. muito bom o texto.
    Parabens pelo teu blog. Consciente, bem escrito, inteligente.
    Gostei daqui.
    Maurizio


  5. Ju Fuzetto Says:

    Juuuu adoreiiiiiiiiiiii!

    Demais esse texto!
    beijos


  6. Carol Says:

    Muito o texto. É isso, falou e disse!


  7. Tenho um vizinho que diz que sou do mundo por eu ñ pertencer a igreja dele. Sempre o digo que: "Deus está em mim, e não aonde frequentarei"

    Certa vez, o questionei se seria eu um ser de marte que estaria fazendo uma passagem pela terra (risos)

    PARABÉNS, pela clareza e consciência de SEMPRE AO ABORDAR COM ASSUNTO!!!


  8. Joana Maranhão Says:

    Concordo com vc em genero número e grau. Parabéns!


  9. Nii Says:

    hahaha muito bom Juu!
    muito bom mesmo, vc foi clara e muito simples! hahaha

    de que planeta eu sou então!?
    hahaha Meu Senhor! Nosso Senhor! hahaha

    Eu não sou de Marte! Eu sou do mundo!
    Eu sou um mundo! E eu tenho o mundo em mim!
    Eu sou humana! no mais íntimo que essa palavra consegue penetrar!

    beeeeijos
    parabéns!
    Nii


  10. Rafa Moraes Says:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    a- d - o - r - e - i