Ser professor é...



Ser Professor nesse país é receber promessas eleitorais a cada dois anos. Ser professor nesse país é ralar igual a um militante terrorista para no final levar bomba. Ser professor nesse país é vergonhoso, pois não se tem nenhum merecimento ou reconhecimento, seja pelas autoridades ou pela grande maioria dos alunos. Nós somos o começo, a ponte e a continuidade para quem começou a estudar e não sabia nem ler os quadrinhos de HQ ou as receitas da lata de "leite Moça". Somos e sempre seremos.

Mas do que adianta sermos a ponte para uma vida de qualidade (com leituras e estudos) se não podemos viver dignamente e com menos carga de trabalho?(para quem não sabe: para um professor viver razoavelmente bem, ele precisa dar aulas em vários colégios nos três horários - manhã,tarde, e noite - e acumular cansaço e estresse).

Sim, merecemos mais atenção. Mas isso não é de prioridade dos governantes, porque uma nação burra rende mais votos e reeleições absurdas a cada dois anos. O Brasil, "um país de tolos", vai se emburricando (culturalmente) e vai indo para o acaso e a sorte.

Todas as profissões merecem atenção? Sim. Todas. Mas sem a educação, não existiriam profissões como as de médico, advogado, juiz, entre outros (essa ladainha é velha, acho que nem faz mais efeito). Precisam da gente, mas zombam com esse salário vergonhoso. Com essas condições de trabalho vergonhosas, com o desvio das merendas escolares e com tantas outras situações que, se contarmos, ninguém acredita.

Acredito sim que pela educação mudaríamos radicalmente e muito nosso cotidiano. Mas quem nos escutaria?

O motivo da minha revolta e do meu mau humor? O novo concurso para o Estado. R$732,69 (sem vale transporte), e títulos como: especialização, mestrado e doutorado contam pontos e fazem a diferença para classificação.

Quem já tem o título de mestrado e doutorado, sabe o quanto é difícil passar e terminar, e pesquisar, e ler, estudar e etc. etc. Os mestres e doutores sabem o quanto é difícil e sabem o quanto é revoltante oferecerem um salário desses, sem vale transporte, para alguém que estudou tanto quanto um Juíz ou um médico.

Mas não importa ser Doutor em História, ou em Geografia ou em Educação física. Estes vão ser apenas chamados de professores e “malas sem alças” para aqueles que querem nos ver pelas costas ou para aqueles que não querem estudar e optam por dançar o “créu”. Mal sabem eles que o “créu”, de verdade, vem mais tarde ao perceberem que a única saída -para o seu sofrimento=sem emprego- é estudar e agüentar, nós professores, malas sem alças.
17 Responses
  1. Ju Fuzetto Says:

    Juuu, falou tudo!!!!!!!!!!!! deu uma saudade de professores que já tive!
    Beijoquinhas!


  2. SAULO PRADO Says:

    E o Salario ó....

    E pensar que este bordão era usado pelo professor Raimundo(chico Anisio,)a mais ou menos dez anoa atrás. E continua tão atual...

    A solução começa na educação... isso é fato... enquanto isso os professores pagam o pato...


  3. A solução é óbvia, todos conhecem, trata-se de : educação.

    Sinto falta de excelententes profissionais que tive ao meu redor nessa área.

    Mas, digo, hein, ser professor em nosso país é ter coragem!!!


  4. Nívea Says:

    "E o salário ohh"

    Poxa vida, que vergonha hein...

    'Eduquem os meninos e não será preciso castigar os homens' Pitagoras.

    Sabe, eu acredito nisso. Que é com boa educação que conquistaremos dignidade nesse país. Professores, são a classe da coragem e do amor.

    Senti saudades também... e quem sabe não serei uma daqui uns anos? penso muito nisso.

    beijos querida!


  5. André Seicho Says:

    Eu sou filho de professor e sei muito da luta deles. Será q um dia ainda serão valorizados? será?


  6. voces professores merecem todo o amor e todo o valor que posso dar , agradeço eu a todos bons professores que tive , que bem provavel deveriam ser iguais a voce . parabens


  7. Marco A. Says:

    Olá Juliana, olha ... parabéns; muito bem colocado o seu ponto de vista. Infelizmente o professor está cada dia mais condenado a virar um nada.

    Eu mesmo quando lecionava Filosofia, abandonei as aulas (apesar de amar), pois como a grande maioria, a minha remuneração não era suficiente para o sustento da família.

    Agora como o país vai caminhar sem prestar a devida atenção e dignidade a esta profissão eu não sei.

    Abraços Marco


  8. Muito bonito ver você insistindo na denúncia dos problemas da educação e da realidade dos professores no Brasil através de uma escrita tão tão bem feita. Muitos professores já desistiram dessa luta, deram-se por vencidos, cairam em depressão...
    Aguente firma nessa lida, querida. Sua voz é a vós de todos nós, menos de nossos governantes, que ainda levam o mundo com o maior dos menosprezos. O futuro dá medo, não dá ?
    Super abraço,
    Chico


  9. RoderRock Says:

    Olá Juliana!

    Israel é grande exemplo de nação jovem, pobre em recursos, com uma população pequena, em estado permanente de alerta para a guerra e que hoje é o terceiro maior país com empresas de alta tecnologia na bolsa americana Nasdaq*.

    Como conseguiram? Educação.
    No passado contrataram excelentes professores vindos de todo o mundo e bem remunerados, fizeram investimentos em desenvolvimento humano, cultura, saúde e alta tecnologia. Essa foi a chave para um Israel moderno, que trata bem seus filhos, jovens ou não.

    Você tem razão, nossos líderes* (da vontade de rir*) sabem muito bem como deve ser feito para alcançarmos resultados parecidos daqui 20, 30 anos, mas como você mesma disse; não existe interesse verdadeiro, apenas discursos.

    Essa é a grande tragédia brasileira! Eu, sinceramente, suspeito muito em um Brasil culto e educado no futuro.

    Abraços, fique em paz.


  10. ...traigo
    sangre
    de
    la
    tarde
    herida
    en
    la
    mano
    y
    una
    vela
    de
    mi
    corazón
    para
    invitarte
    y
    darte
    este
    alma
    que
    viene
    para
    compartir
    contigo
    tu
    bello
    blog
    con
    un
    ramillete
    de
    oro
    y
    claveles
    dentro...


    desde mis
    HORAS ROTAS
    Y AULA DE PAZ


    TE SIGO TU BLOG




    CON saludos de la luna al
    reflejarse en el mar de la
    poesía...


    AFECTUOSAMENTE
    JULIANA


    DESEANDOOS UNAS FIESTAS ENTRAÑABLES DE NAVIDAD 2009 ESPERO OS AGRADE EL POST POETIZADO DE CREPUSCULO.

    José
    ramón...


  11. Disse muito bem, Juliana. Graças a Deus, não tenho problemas com meus dois filhos que adoram estudar, sabem valorizar os professores, mas sempre penso sobre outros tipos de alunos que empurram a escola com a barriga e não sentem o mínimo prazer em estudar. Penso quando passar esta fase e tiverem que enfrentar a vida e as oportunidades que vão se afinilando para aqueles que não se preparam.
    Bjs


  12. Vitor Andrade Says:

    Infelizmente hoje em dia o valor atribuído a algumas coisas são absurdas e é claro q estudar deve estar para a grande maioria em ultimo lugar....


  13. Janaína Says:

    Ser professor é lutar o mês todo pra no final ganhar uma merreca. Falou e disse!


  14. Joana Maranhão Says:

    Pra mim vc é a professorinha mais linda do mundo e nota 10, hahahaha.

    bjs


  15. Concordo em todos os pontos do artigo.
    Aliás, meu último post faz uma referência a você
    Abraços
    Brasileiro


  16. Este comentário foi removido pelo autor.

  17. É, o texto é uma "varridinha" por debaixo do tapete. E fica sempre o questionamento: Quando eles vão se tocar de que é a educação que move o mundo? (Será que vai ser preciso estagnar de vez para que isso possa acontecer?).
    Concordo plenamente com o Carlo Lagos (Fatos sem palvras) quando ele diz que ser professor em nosso país é ter coragem. (Eu colocaria aqui em caps loock). É ter coragem e uma esperança mais que eterna (se é que isso é possivel).
    É como sair de mansinho parando cada pessoa(com muito jeito) que nos passa pela frente e dizer: - Olha existe um mundo beeeem maior do que esse que você ver.Tire a venda dos olhos, dá trabalho, mas vale a pena. (Quantos te escutaram? Acho que 1 em 1 milhão. Os outros estão ocupados demais para isso. Ou ouvindo o créu alto demais, para ouvi-lo. Rsrsrs)
    E mesmo assim a gente continua...
    Com garra e coragem. Investindo naquilo que acreditamos ser a saída para todos os males.