Eu, eu mesmo e o computador...




No século 21 o mundo virtual é bem mais “habitável” para a maioria dos jovens e adultos. Lá somos fortes, lindos, maquiados e “sarados”. Não temos medo, somos valentes, imbatíveis, sensuais e populares. Não temos mau hálito, mau humor, nem solidão. Temos mil amigos no Orkut, mais uns 100 no MSN, mais uns 300 no Facebook, mais de 30 mil no Twitter!

No mundo virtual podemos ser o que quisermos. Fotos sorridentes, cercados por mil amigos diferentes, regados a descrição de perfis de “sou perfeito”, “sou legal”, “sou amigo”. Nesse tal mundo virtual cada um é cada um e em geral somos admiráveis.

Só que não paramos para pensar que por trás da tela fria (ou quente) de um computador existe um ser humano que possui defeitos e enfrenta a solidão. Há alguém que não é tão maravilhoso assim, que não é tão perfeito e que não possui tantos fãs como no “mundo imaginário”.

No mundo real, existem problemas, existe o trabalho, o estudo e a nota baixa na prova. No mundo real o “super internauta” não consegue fazer amizades tão facilmente clicando no botãozinho de “aceitar”, ou seja, dificilmente aceitamos com um “click”, como no Orkut, o amigo pedindo sua amizade. No mundo real somos frágeis, egoístas, preconceituosos e humanos. Temos resfriados, preguiça, estamos fora de forma, a raiz do cabelo está para ser retocada, somos nós mesmos, portanto, imperfeitos.

Talvez seja por este motivo que cada vez mais o número de sites de relacionamentos invadem a internet com a explosão de indivíduos insatisfeitos com a sua vida real, claro com exceções. Viver o imaginário é mais fácil que abrir a porta do seu apartamento ou da sua casa e encarar o sol escaldante lá fora, as contas na caixa de correio, a prova tão temida e a solidão que bate na porta todos os dias para aqueles que acreditam que não precisam de ninguém.

Vamos fugir para o mundo virtual. Vamos nos sentir como “Alice no país das maravilhas” e nos abster da realidade. O governo “aí fora” não presta e aqui, no mundo virtual, as pessoas são mais legais e mais bonitas e cheirosas. Somos amigos, fazemos questão de ver um as fotos dos outros, comentar e agradecer. Aqui no mundo virtual, colocamos frases no MSN, conversamos superficialmente, podemos “bloquear” os que não queremos falar, ficamos “invisíveis” ou "Off lines" quando não queremos “falar” com ninguém. Aqui no mundo virtual nossas roupas são lindas, não mostramos nossa cara amassada e nossas lágrimas. Nossa felicidade é panfletada a todos que se “interessam” por ela enquanto que a nossa tristeza é escondida através de um simples gesto de “desligar o computador”. Aqui tudo é mais fácil.

Já aqui no mundo real a vida é mais dura. Os amigos não mandam recados diariamente, não conseguimos fazer amizades com mil amigos em um mês, temos defeitos e nossas roupas ficam velhas. Aqui é bem mais difícil disfarçar a nossa tristeza. Temos que encarar o mundo lá fora, o ônibus lotado, as notícias ruins dos Jornais, a indiferença humana, e aqui, caros amigos, não podemos “bloquear” ninguém. Aqui o “papo é reto”, o olho no olho tem prioridade. Ser sincero aqui é fundamental para quem quiser habitar esse mundo. Seu perfil do mundo real tem que ser realista, não dá para camuflar ou inventar quem você realmente é pois, aqui você é descoberto mais cedo ou mais tarde. Aqui a vida é eletrizante e, portanto mais emocionante. Aqui os sentimentos são reais: raiva, rancor, ódio, amor, paixão, solidariedade,felicidade, compaixão, etc. Não tem para onde fugir e o seu “botão de desligar” não está em suas mãos, mas sim em algo superior.

P.s. Faça sua análise, escolha seu “mundo” e siga em frente.

35 Responses
  1. Ju Fuzetto Says:

    Juuuuuuuuu!!

    Texto super realista e interessante!!

    Temos que saber buscar nosso mundo, seja qual ele for!
    real ou virtual!!!

    Eu prefiro o real, é mais emocionante!!!

    beijos


  2. Andrea Mari Says:

    Juuuuuuu
    grande verdade essa, o mundo imaginario e perfeito é virtual, a nossa realidade do dia a dia tem outra beleza, a beleza real!!!!
    bjosssss e parabéns pela postagem!


  3. Qual mundo pode nos ser mais facorável, ou, menos doloroso?
    Não sei afirmar um ao certo...
    Mas, podendo mesclar, em certas horas, nos faria muitoooo bem!


    Ah...tem algumas senhoritas seguindo lá pq, talvez, sei lá, elas ñ tenham encontrado um outro blog escrito por um homem com tanta melancolia, que mostre sentimentos...mas, certamente, existe! rs

    =)

    Fico muito feliz em lhe ter por lá.

    Incontáveis abraços.


  4. Lou Witt Says:

    Perfeito!

    Perfeito!

    Perfeito!

    Não cabe dizer mais nada, o texto traduz tudo.

    Beijo de carinho!!!


  5. Blog da Nana Says:

    Adorei este texto, lindo!
    Beijos


  6. Blog da Nana Says:

    amiga fiz um comentário no seu outro texto, mas ainda não estou totalmente familiarizada com Blogs e ficou anônimo o comentário, sei lá o que fiz! hehehehehe
    No seu texto "Tristeza nos dos outros é refresco"
    Texto perfeito!
    Beijos


  7. Ei mto obrigada, me achou aonde meu bem???

    vou segui-la tb.
    bjs


  8. Interesante post y muy realista! saludos!


  9. Jéll C. Says:

    Me perdoe a demora de te responder. É que tô com uns problemas no pc, vou ter que formatar essa semana --'
    Já estou te seguindo tbm. :)
    Gostei do que você escreveu, apesar das controversas prefiro o mundo real. :D
    ;**


  10. Jane Prado Says:

    Nada a acrescentar ao teu texto. Conseguiu definir muito bem todas as duas opções.

    Muito bem bolado!


  11. Mesmo fora do ciberespaço, vivemos criando virtualidade a nossa volta. Pra nós mesmos. Assim dói menos... mas tb amortece emoções. Ou, pelo menos, atenua os efeitos delas. O real impõe mais responsabilidades,a meaça a criatividade. Isto alguns acreditam, dai tentarem formatar suas vidas. Qbom q após toda noite, sempre amanhece um novo dia nos convidando a criar no meio real. Eu prefiro essa bricandeira. Dói mais, porém não me impede em aprender a conhecer o verdadeiro eu... prazer!
    Vi, gostei e fiquei... um blogueiro q escreve notícias esportivas, mas tb reflete sua existência. Da melhor forma q eu posso.. ;o)
    Bjs e luz


  12. Graça Says:

    ...ultimamente ando preferindo o virtual, mas já fui depressa conversar com minha psicóloga...rs

    Ju, amei seu blog, sou professora tb e vou voltar, esteja certa.

    Um beijo, vc escreve muito bem!


  13. Sandra Says:

    BOM DIA!
    FESTA SURPRESA...
    CONVITE.
    GOSTARIA DE RECEBER PARA BRINDARMOS O ANIVER...
    TE ESPERO..
    ONDE: CURIOSA.
    HORÁRIO: DURANTE O DIA.
    DIA:08.02.2010

    FICAREI MUITO FELIZ EM TE RECEBER...
    SANDRA


  14. Roder Rock Says:

    Muito bom!
    Faz tempo que não leio algo tão significativo nos Blogs que sigo. O meu mundo real tem tomado meu tempo...risos.

    Concordo com você em tudo.
    Roder.


  15. Maria José Says:

    Juliana. Perfeito o seu texto. Perfeito mesmo. É preciso sabermos distinguir o real do virtual. Por mais maravilhoso que possa ser um mundo imaginário, nada substitui o real, mesmo tendo seu lado ruim. Beijos, amiga e obrigada por sua visita ao Arca. Adoro quando aparece. Tenha uma semana feliz.


  16. Maldito Says:

    è necessário muita sapiência para saber equilibrar e transitar por entre os dois mundos!
    Inté!


  17. Leca Says:

    Com certeza...existem muitas verdades e mentiras nesses dois mundos...O real e virtual...às vezes até se confundem...é tênue a linha que separo os dois...é como a loucura...
    Beijos e parabéns pela reflexão


  18. Mundos que deveriam se completar e não se substituir... cada qual com seu papel não é?

    excelente critica e reflexão.

    bjs guria. até.


  19. As veze eu paro e penso, como passo tanto tempo na net. E qnts amigos eu tenho, e que fiz pela internet. Pessoas que adoro demais, mas que não conheço pessoalmente. E paro pra pensar que a minha vida real, é mesmo sem graça.. rs
    Acho q vou postar sobre isso depois... *.*
    bjin


  20. Se7e/5 Says:

    "Mãe de um feto violado, afirma sua inocência e prova que a agulha de tricô indiciada como arma do crime não correspondia ao número da embalagem. Abortilda Semedo, afirmou que vai processar a fábrica de agulhas pelo incidente que está provocando todos os problemas vividos actualmente com a justiça e opinião pública. Numa primeira justificação, ainda a quente, logo após o parto, a alegada violadora, confessou que tudo aconteceu quando estava tricotando uma camisolinha de seda para o seu pequenino rottweiler de 2 aninhos, já que ela costumava trabalhar nuinha e com as pernas bem abertas, só que nessa vez, incompreensivelmente, uma das agulhas escapou para dentro da vagina. “Eu achei muito estranho, mas não liguei e se não fosse um cliente a queixar-se que tinha sido mordido..."
    O restinho? nã, nã... só no Se7e!


  21. Tentei comentar sua ida ao cinema no outro blog, não achei lugar pra comentar. Não importa, o fato é q adorei o texto do cinema, um retrato fiel das obrigações de lazer,criadas por uma mídia caótica, pra eu não dizer mau-intencionada (é assim na nova regra?).

    Bom é isso, já havia passado por aqui, acho q não tinha comentado, o mundo é assim, querem nos dizer o q é diversão...

    ExperiMnte ir a um restaurante no domingo, nada diferente do seu cinema!

    Eu não vou DE JEITO NENHUM


  22. Camila Says:

    Muito interessante sua visão. Adorei o blog


  23. RODRIGO Says:

    Parabéns por mais um belo texto no seu blog. falou e disse!


  24. daniele Says:

    Olá querida, vc tem razão qdo diz q o mundo virtual é um fuga praqueles insastifeitos com a sua vida "real" e como o mundo "real". Afinal esse mundo anda tão errado q muitas das vezes é melhor ficar sonhando acordado. Sofremos menos, o pior é acordar pra realidade e enfrentá-la, mas sabemos q é preciso.

    Grande beijo, bom carnaval!


  25. LACERDA Says:

    MUITO BOM SEU BLOG, GOSTEI MUITO DOS TEXTOS POR AQUI, VC É MUITO EXPRESSIVA E INTELIGENTE. ESTAREI SEMPRE POR AQUI LENDO SUAS NOVIDADES.


    UM GRANDE ABRAÇO!


  26. Maria Angélica Says:

    Oi Juliana, sou de Manaus e passeando pela net achei o teu blog. Me identifiquei com muitos textos seu, li a maioria dos seus arquivos e me emocionei com alguns. Um grande ano pra vc, q consiga muitas vitórias.

    Voltarei sempre!


  27. Maria Angélica Says:

    Oi Juliana, sou de Manaus e passeando pela net achei o teu blog. Me identifiquei com muitos textos seu, li a maioria dos seus arquivos e me emocionei com alguns. Um grande ano pra vc, q consiga muitas vitórias.

    Voltarei sempre!


  28. Joana Says:

    Olá jujuba, qto tempo não apareço por aqui, A faculdade tá me tomando o tempo e quase não tenho tempo de dá um alô. Adorei esse texto, descreveu bem os dos extremos...

    beijooooooooooooooooo!


  29. Rafaela Says:

    Juuuuuuuuuuuuuu, esse texto ficou massa!!!!!!!!!!

    Acho q ultimamente estou muito no mundo real. Graças à Deus. Mundo virtual é pra loucos, rsrsrsr...

    beijo!!!!!!!!!!


  30. IVAN MENDES Says:

    Seu melhor texto até agora, bem crítico e criativo!


  31. Juliana,
    Passeando por outro blog, vim parar aqui, feito abelha atraída pelo mel de outra colmeia...
    Aproveito para convidar-te a visitar-me no CANTO GERAL DO BARSIL (e outros cantos), cantinho onde rendo minhas homenagens a vários artistas de variadas artes e idiossincrasias, com muito afeto e açúcar.

    Abraço mineiro,
    Pedro Ramúcio.


  32. JORDAS Says:

    Uma boa refexão sobre o mundo das relações.
    Parabens


  33. Tais Luso Says:

    Juliana, não tem coisa mais certa do que este teu texto.

    Certo: é no mundo real que nos machucam ou nos deixamos machucar, é difícil escapar. No virtual se machuca quem quer, é só desligar, é só bloquear, é só esquecer que existe facebook, Orkut, msn. No virtual a gente pode e deve fazer uma escolha.

    Pessoas agressivas e estúpidas, encontramos muito no virtual, por isso nossos comentários são moderados por nós.

    Mas, com sorte, até que encontramos gente séria e legal, afinal os que estão no real, dão suas escapadinhas para o virtual.

    Virando e revirando, as pessoas não se diferenciam muito. Elas usarão máscaras no mundo real e virtual. Cabe a nós averiguar; e a gente consegue ver quem é quem. E basta se cuidar.

    meu carinho
    tais luso


  34. Juliana,

    Voltei aqui, hoje. Esse seu texto me pegou de jeito... Vou ler outros com mais calma. Bjs


  35. Mario Moreyra Says:

    Sou Poeta (antigo), mas utilizo o computador, e este artigo sobre o Mundo Virtual, deixou-me extasiado...Que texto maravilhoso e realista...
    Obrigado, Juliana Dias, e suplico para continuar a encantar...
    Mario Moreyra