Não banalize o amor!




 
Fico observando esses casais recém apaixonados. É impressionante a capacidade que eles possuem de panfletar seu “amor”. Sabe aquela necessidade de dizer ao mundo que não está mais sozinho, desencalhou, encontrou sua cara metade?


Então, sendo assim eles começam anunciando seu amor - como se vivê-lo no anonimato diminuísse a sua beleza. Declaram-se na principal rede de relacionamentos do mundo: o Orkut. São trocas e mais trocas de depoimentos apaixonados, recados românticos e fotos no álbum (regados a beijos e abraços com legendas mais românticas ainda).


O interessante é que as juras de amor não ultrapassam pouco mais de seis meses (na sua grande maioria). É verdade. Depois do incansável markentig amoroso, acaba-se o amor eterno (mas não era eterno?). Os status de relacionamento mudam, os depoimentos são apagados e os álbuns somem. A minha intenção aqui não é, de forma alguma, desmerecer o amor. Ao contrário, quero tentar ao menos, valorizar o amor verdadeiro.


Muitos de nós quando falamos em amor lembramos somente do amor entre casais. O amor é muito maior e pleno do que esta mera forma. Existe o amor entre amigos, entre pais e filhos, entre irmãos, etc.


Amar não é um anúncio televisivo. Amar verdadeiramente alguém nos impõe muitas responsabilidades, uma delas é a sinceridade do que se anuncia. Dizer “eu te amo” para alguém requer a veracidade do que se sente. Não é apenas abrir a boca e dizer: “te amo”. Não! É quase um ritual. O coração tem que disparar, tem que estar verdadeiramente repleto de amor.


Há quem diga que saber que é amado difere muito do que sentir-se amado. Concordo plenamente. Eu posso saber que alguém me ama só porque me diz. Agora sentir que esse amor realmente existe, é outra história.


Sentir-se amado por um amigo é vê-lo que ele fica feliz com as suas vitórias, quando ele atende seus telefonemas de madrugada e também diz a você o que precisas ouvir, não o queres ouvir. Sentir-se amado pelos seus pais é saber que eles estarão sempre com você, mesmo que não tenhas tanto sucesso profissional, que não faça a faculdade sonhada por eles e quando você errar, eles estarem prontos para mostra-lhe o erro. Sentir-se amado por um filho é ver que ele não tem vergonha de você na frente dos amigos, é entender que você não pode dar um bem material por falta de dinheiro. Sentir-se amado pelo seu parceiro é quando ele te olha nos olhos, quando respeita sua individualidade e quando não rompe, de forma nenhuma, a cumplicidade que vocês criaram quando se conheceram.


Esses são alguns exemplos de que amar é muito mais profundo do que se pensa. O amor é uma troca, mas também incondicional. Daí a sua magnitude. Portanto não banalize esse sentimento. Viva-o verdadeiramente e a sua recompensa será diária.
3 Responses
  1. Anônimo Says:

    belo texto...realmente o amor é algo a mais do que simplesmente a famosa frase...


  2. Bom dia.

    Tudo bem?


    Obg pelo comentário.


    Infelizmente o: "te amo" virou tão comum atualmente. Tão fácil falar, mais fácil ainda é sentir...Mas isso só pode sentir quem realmente tenha o tal sentimento. (Algo raro. Fato)

    bjs.


  3. Rafaela Says:

    Adorei o texto, concordo plenamente com tudo. a galera tá usando a frase "eu te amo" como algo descartável...