Corre sangue aqui dentro







Quando eu era criança eu tinha muito medo de crescer. Muito mesmo. Tinha medo de ficar adulta e “igual a todo mundo”. Eu queria ficar protegida pelos desenhos, pelas bonecas, pelos meus pais. Depois que virei adolescente queria "voar". Não queria ninguém por perto, me “vigiando”, me controlando, me impedindo de “viver”. E agora, acho que eu misturo tudo. Mudo de opinião, sofro por antecipação. Vou vivendo à medida que eu vou me atualizando. E viver é isso, sabe? A gente nunca sabe o que nos espera realmente no dia a dia. Apenas sabe que vai sair de casa, todos os dias às 7h da manhã, na nossa rotina, mas estamos sujeitos a tudo.

Se pararmos para pensar a gente pira. A gente não sai de casa. A gente para. Eu pararia se adivinhasse muitas coisas não tão boas que me aconteceram. Fico sempre pensando e “se eu pudesse evitar como seria?”.  Não dá, viver é isso. Não tem como passar ileso. Não adianta evitar a vida, ela sempre vem ao nosso encontro. Não tem como fugir. Ou então iremos ficar fugindo em círculos a vida toda.

Eu já cansei de querer mandar em tudo. Já quis muito mandar na vida. De querer impor algo a mim, mesmo sabendo que não conseguirei. Claro, tenho as minhas recaídas. Mas quando paro para pensar por tudo o que já chorei: Eu começo a rir. Eu sei que vou rir de tudo que me faz chorar hoje. Porque viver é isso: É sofrer bem no estilo dramalhão mexicano. Rir até não poder mais. Querer muito. Amar muito. Sofrer até a última gota. Viver é sentir.

Tem que sentir, espernear, gritar, arrancar os cabelos. Eu arranco os meus. Eu choro até os meus olhos incharem. Rio até a barriga doer. Porque como se diz por aí “o que a gente leva da vida é a vida que se leva.” A minha impulsividade me atropela, mas ao mesmo tempo em que me deixa “estirada no chão”, me faz levantar. Porque corre sangue aqui dentro, sabe? Não é um sangue rosa que aceita de sorriso amarelo toda a merda de mundo que a gente vive.

Mesmo sabendo que todos os livros que eu leio não vão servir para nada em alguns momentos. Mesmo sabendo que os meus textos não irão mudar o mundo – apenas o mundo dentro de mim – eu continuarei escrevendo, continuarei lendo. Porque, repito, viver é isso. A minha concepção de vida é essa. E vai ser durante muito tempo.

Vou continuar filosofar a vida sempre. Mesmo que certas pessoas achem isso piegas. Mesmo que certas pessoas gostem do mais fácil, do mais rápido. Eu esperarei sempre, mesmo que me deixem para trás... Porque não é a ordem de chegada que me importa, mas como eu irei chegar. Onde irei chegar e com quem chegarei. Porque, repito, corre sangue aqui dentro... E, sobretudo, tem um coração. Um coração que vai bater por coisas que não merecem, que vai doer e ficar pequenino por decepções da vida, que vai bombar para eu não desistir. E por que desistiria se corre sangue aqui dentro?

Corre sangue aqui dentro, bate coração aqui dentro, tem alma grande aqui dentro, tem sentimento aqui dentro e NADA, nunca mais nada nesse mundo vai me fazer esquecer que a minha “ordem de chegada” sou EU que faço.

13 Responses
  1. Oi Juliana
    Grande desabafo. É por aí mesmo, viver tem que ser intensamente, por completo. Viver é correr todos os riscos que a vida nos apresenta.
    Bjux


  2. Voando alto Says:

    Olá Juliana, Lindo texto. Agente tem é mais que ser feliz e pronto.
    Vou continuar lendo, me encantei.


  3. Olá!!! Adorei o seu cantinho!!!
    Tbém sou professora!!!
    Beijos!!!


  4. Luana Says:

    Escreveu por mim. Exceto pela parte do 'medo de crescer'. Hoje eu o tenho. Quando criança, era o que eu mais queria.
    É um belo arrependimento...


  5. Maria José Says:

    Olá amiga. Estou de volta aos blogs depois de um período de descanso. Felicidade é a nossa meta. Lindo texto. Beijos e ótima semana.


  6. A. Reiffer Says:

    Profundo e intenso, muito bom! Abraços!


  7. Daniel Hasen Says:

    O texto é um dos mais bonitos q já li aqui. "Não importa a ordem de chegada, mas como irei chegar"

    muito dez


  8. Isso aí...ranca isso de dentro!!

    Aproveito para lhe convidar a participar do sorteio que estou fazendo em meu blog Desce Mais Uma!.

    []s


  9. Olá!
    Continue filosafando e assim alimentando o seu e o nosso coração de belas palavras.

    Abraço!


  10. Jane Prado Says:

    Disse tudo querida! O que importa não é chegar em primeiro, mas sim da forma como se chega. Amo seu blog!


  11. Joana Says:

    Esse texto é uma poesia...

    Adoro passar por aqui...


  12. Socorro Melo Says:

    Juliana,

    Que texto maravilhoso! A D O R E I.
    Eu penso tudo isso da vida sabe? E deve ser porque corre sangue aqui dentro. Maravilha.

    Beijos
    Socorro Melo


  13. Jane Prado Says:

    Belo texto! Corre sangue aqui dentro também.

    Bjs