A Elite nossa de cada dia...




Quando passo na banca de jornal e vejo revistas de fofocas e de gente “famosa”, sinto calafrios. Sinto um "revertério" no estômago quando leio notícias de “fulano e seu cachorrinho poodle tiram fotos no jardim” ou “o último namorado da fulana de tal”.

Infelizmente são notícias que vendem. Que rendem uma boa grana. Não! não sou revoltada, não invejo o glamour dos outros. Mas como toda “ocupante” da classe C do país – a dos pobres – fico revoltada.

A elite, no alto da sua torre, bem lá longe na sua cobertura de luxo, não sabe o que o pobre coitado do brasileiro passa. 

Os sorrisos das capas de revistas –e dentro delas- denunciam suas alienações quanto ao “pão que o diabo amassou” que é cotidiano na vida do menos favorecido.

Não! Não sou adepta à política do “hobbin rood”. Porém sou a favor de uma distribuição de renda justa. Com condições de moradia, de cultura, de estudo. Já dizia o poeta: “a gente não quer só comida, quer comida, diversão e arte”

Queremos sim, queremos ser enxergados, queremos ser valorizados.

É claro que tem muita gente boa nesse meio, muitos artistas engajados, muitos jornalistas que honram o diploma. Mas quando se passeia pelo “twitter” de alguns, pelo “blog” de outros, o que mais se vê é uma GRANDE BRIGA DE EGOS. Um querendo aparecer mais que o outro e por aí vai...

Hoje estava pesquisando sobre movimentos sociais e achei uma matéria muito absurda. Já havia ouvido falar neste assunto, mas não tinha tido o desprazer de ler. A matéria, em uma coluna de um jornal muito conceituado de São Paulo, foi escrita por uma pessoa muito “culta” e conhecida na sua função. Jornalista renomada que vomita seu preconceito social e seu elitismo escrachado, não mede conseqüências ao debochar do pobre coitado do brasileiro, aliás, ouvi dizer que a tal pessoa critica tudo quanto é “povo”, enfim, apenas um exemplo do que a “alta sociedade é capaz”, logo abaixo no link.

A matéria é intitulada como “Cultura de bacilos (bactéria)” e tem na sua primeira frase o seguinte: Se usamos verbas públicas para ensinar hip-hop, rap e funk, por que não incluir na lista axé ou dança da garrafa?

Quem quiser ler a matéria e as respostas, a esse desastre jornalístico: clique aqui.

Não sou adepta ao funk, não sou fã de hip-hop ou rap (mas escuto MV Bill) e tão pouco critico quem os faz. Não estamos falando aqui de ritmo musical, estamos falando de Movimentos Sociais. E movimento social é tudo a que o brasileiro desesperado se apega. É no movimento social que muitos saem do crime, abandonam seus pensamentos fúteis ou simplesmente sentem-se mais felizes. O povo brasileiro precisa de muito mais. Já disse isso e todo mundo já sabe. 

Agora criticar o governo porque foram doados 60 mil dólares para o Movimento social do hip-hop (que faz um trabalho belíssimo, procure saber) é o ápice do preconceito social. Parece-me que a ascensão da classe pobre incomoda a elite, assim como foi na ditadura, assim como foi em todos os nossos "500 anos".

Engraçado que ninguém criticou a doação de mais de um milhão de reais dada ao Caetano Veloso (músico magnífico), mas que – cá pra nós- não tem condições de arcar com a sua turnê? Ou porque ninguém criticou a doação de setecentos mil reais dada à cantora Malu Magalhães para que propague sua turnê? Diga-se de passagem, que a cantora tem um contrato com a Sony, uma das maiores gravadores contemporâneas. Enfim, não entendo. Não entendo porque o pobre sempre causa polêmica, sempre se ferra, sempre causa asco, náuseas ou sei lá mais o quê na elite.

Quero seres humanos melhores. Quero dias melhores. Quero meu espaço. Assim como milhões de brasileiros. Chega!

P.S. Vale à pena clicar no link acima e ler todas as respostas dadas a essa “jornalista”. E esse post não foi uma defesa musical, mas sim, uma defesa ao povo brasileiro, pessoas que deveriam ser mais lembradas.

Muita Paz e Luz para todos!
14 Responses
  1. Valeu a minha madrugada ter vindo aqui e ler seu texto... bela crítica social...

    Precisamos de mais pessoas que possam se manifestar e não ter medo de fazerem suas defesas...

    E tbm penso como vc... melhor distribuição de renda, igualdade de oportunidades de acesso às mesmas coisas... um Brasil de todos de fato, com comida, diversão e arte como vc bem lembrou...

    As vezes penso em escrever mais textos assim, mas não o faço, me decepciona o desinteresse das pessoas, o qto elas se cansam de ler textos elaborados, com críticas com bons argumentos, o qto estamos sempre correndo muito e não podemos parar pra ler textos como esses que abrem nossos olhos, tocam nossos corações...

    Pequenas atitudes como essas podem causar grandes revoluções, mesmo que por hora sejam em corações e mentes...

    Parabéns guria! Até.


  2. Ivan Mendes Says:

    Infelizmente na nossa sociedade tá cheio de pessoas desse tipo. Arrogantes, prepotentes e sem medo do dia de amanhã. Faço minha suas palavras. Revoltante a matéria que li e ainda mais vindo de alguém tão "culta".


  3. Mariana Says:

    Se dependesse de mim, revistas de fofocas, elas já teriam ido a falência.
    Criticar é fácil, mas apontar soluções é mais difícil.
    Devemos fazer a nossa parte, eu tento.


  4. Carmo L. Says:

    É deprimente o artigo publicado por essa pessoa. Mas reparem, não é só ela que é pobre de espirito, quem deu o seu avalo pensa da mesma forma entre muitos mais da laia. Mas duas vozes fazem-se ouvir mais alto, então a classe C que essa gentalha tanto abomina a voz sôa bem mais alto, pois a união faz a força. Não falo de violênia, nada disso, mas de união, dignidade, valores e vontade de vencer. Mesmo quando esses parasitas procuras tira-la.


  5. OI linda, obrigado por me visitar e seguir, vou te seguir no twitter tá?

    Apareça sempre.

    Belo texto.
    Um beijo
    R.R


  6. Maria José Says:

    Excelente matéria para reflexão e mudança de atitude. Beijos, amiga.


  7. Lou Witt Says:

    Interessante tópico!!!

    Parabéns querida!!!


  8. Tem gente que á assim mesmo, não quer saber de outros também terem oportunidades. Quando se doa algo, mesmo uma migalha, para ajudar quem precisa, chiam. Agora, eles se arrumam nas suas sonegações. Veja-se o caso da Daslu. O egoísmo as impede de ver que este mundo é para todos, e todos podemos viver bem nele. Tais pessoas têm nojo de alguém de classe social "inferior". Portanto, eles têm nojo de mim também. Mas eu não tenho nojo deles. São ridículos demais, e se afundam numa vida vazia. Quer dizer, não é vida, é outra coisa, sei lá o quê!


  9. Jéll C. Says:

    Adorei a crítica.
    Essa jornalista é pobre de espírito...
    Infelizmente é nesse mundo desarrumado e cheio de injustiças que vivemos...
    ;*


  10. Jane Prado Says:

    "Falando em cultura, usar boné de beisebol ao contrário na cabeça, calça abaixada na cintura com a cueca aparecendo e tênis de skatista é coisa de colonizado? Oras bolas, então o que é que vocês vão comprar na Oscar Freire ou na Daslu, saia rendada? CDs do mestre Luiz Gonzaga? Sei, sei. Shoppings, Chanel, Delivery, feedback, Miami, Ilhas Caimã, Dior, Mont Blanc, brothers, olha só quem fala em colonização... Os recalcados da Quinta Avenida (NY)".

    Adoreiii essa resposta do poeta Sergio Vaz dada a essa "Jornalista". É com inteligência que se retruca a ignorância.

    Grande beijo e grande crítica.


  11. O que mata é a falta de conhecimento de MUITOS JORNALISTAS na hora de fazerem uma matéria.

    Parabéns por esta abordagem com conteúdo!

    Incontáveis abraços.


  12. Joana Says:

    Queremos respeito e é bom, né? É repugnante o que somos obrigados a ler e escutar por essa gente que não sabe o dia de amanhã!


  13. Olá Juliana!!

    Talvez! Acho até como uma certeza,que essas várias revistas fofoqueiras, às quais vimos estampadas em primeira vista nas bancas de jornais e, que a maioria das pessoas compram e perdem seu tempo em saber da vida íntima das outras.
    Talvez seja uma forma da própria midia "Seletiva" das editoras, em distanciar as pessoas do que realmente acontece de mais grave no País.... Uma forma Marketeira, suja, permissiva, intencional... Talvez até intencinal nos bastidores Políticos, já que a maioria dessas editoras de revistas e, até mesmo emissoras de Rádio de TV, são manipladas por Politicos, pois a maioria delas eles, s Políticos são majoritários nessa empressas.
    Isso, Justamente para manipular e atrofiar a mente das pessoas, relevando o fato das questões mais prioritárias referente aos acontecimentos no País...

    Mas muito bem colocada sua matéria

    BJS

    Marcio RJ


  14. RODRIGO Says:

    Eles querem mais é que pobre se exploda!