30 e alguns...



Sou mulher de 30 e alguns. Apesar da insegurança em revelar os “alguns” quero dizer, sinceramente, que estou muito feliz com os meus “30 e alguns anos”. Aprendi a gostar de mim e, sobretudo entender que envelhecer é aprender.

Quero sim, ficar muito velha, pois somente assim vou ver muitos fatos acontecerem na minha vida e no mundo! Que tristeza morrer jovem! Quero morrer velha! Mas deixemos essa idéia de morte de lado. Quero falar de vida. Gosto da minha maturidade, da minha experiência, do que construí até aqui. É muito bom sentir essa maturidade, saber a hora certa de falar, escolher, decidir. Anos atrás sofria mais de ansiedade do que hoje, queria fazer tudo ao mesmo tempo, não tinha paciência para conversas demoradas. Me magoava facilmente e ligava muito para o lado estético. Me matava horas na academia. Corria, fazia aulas e mais aulas para definir o corpo. Não que hoje isso não preencha mais minhas horas, mas malhar para mim hoje é uma questão de saúde, não de esculpir o corpo para os outros olharem, como se fosse um prêmio você ir à praia aos domingos e exibir tudo o que você “construiu” na malhação.

É claro que nós mulheres de 30, somos mais maliciosas, não acreditamos em qualquer historinha que nos contem. Que bom! Já posso dizer que estou livre de certas lorotas cotidianas.

Hoje eu sei que a melhor saída para um envelhecer de bem com a vida é fazer o bem, é ter amigos verdadeiros, é se livrar da praga dos rótulos: linda, sarada e magra! Não vou ser hipócrita em dizer que não gosto de ser magra, que nunca fiz dieta (e quem não fez?). Mas faço por mim, pelo meu bem estar, não porque a sociedade exige a “mulher perfeita” que, cá pra nós, eu nem sei se existe.

Acredito que envelhecer bem mesmo, é aceitar que a lei da gravidade existe, que as rugas aparecem e o que ao invés de lamentar-se por isso é agradecer por cada experiência, por cada tropeço, cada choro, cada alegria e cada loucura vivida, sentir-se linda e acima de tudo cultivar coisas que realmente nos deixarão com a cabeça boa, lúcida e sempre jovem.

Então tá, não é nem um terço do que pretendia dizer, mas não voltaria aos meus 20 anos, salvo claro, se estivesse com a cabeça que eu tenho hoje em um corpinho de vinte!! Mas como isso é impossível - e que bom porque se não o que iria ter de velhinhas por aí na fila querendo voltar no tempo...

Outro dia li um texto de Arnaldo Jabor (que de vez em quando acerta) que dizia assim: “Sim, nós admiramos as mulheres com mais de 30 por um “sem” número de razões. Infelizmente, isso não é recíproco. Para cada mulher de mais de 30, estonteante, inteligente, bem apanhada e sexy, existe um careca, velho, pançudo em calças amarelas bancando o bobo para uma garçonete de 22 anos.”

E não é que ele tem razão! Concordo plenamente! Então sou mulher de mais de 30 e feliz!
6 Responses
  1. É notória a sua alegria em viver. Isso é muito bom não só para vc, mas tambéwm, para todos que aqui vem prestigiar um cado da sua alegria. Transmites uma alegria intensa...Com uma leve cor azul...Traz uma paz sensacional.

    Parabéns.


  2. Joana Maranhão Says:

    Oi queridona...saudades! adorei o texto, vc realmente expressa e muito bem suas "humildes" opiniões a cerda da sua vida e de um modo em geral. Coisas de Jujuba mesmo...Parabéns....


  3. *Pérola* Says:

    Amiga, seu blog tá perfeito!
    fica falando q eu escrevo bem, mas também tá arrebentando! e vamos combinar q vc é a mulher de 30 e alguns mais linda do mundo né?
    quanto ao meu texto, digamos q é uma realidade romantizada, senão não rende um texto né? rsrsrs
    depois te conto em detalhes! mas tem q ser pessoalmente pq é mais emocionante hahaha
    beijão


  4. Rafa Moraes Says:

    Se eu chegar aos 30 e estiver linda e maravilhosa igual a senhora senhorita...rsrs..eu vou dar pulos de alegria!!, amiga, liga pra mim, SAUDADES!


  5. Vitor Andrade Says:

    Adorei...


  6. Fabi Mello Says:

    GATONA!